POESIAS

VOLTAR

Um tratado sobre o comportamento humano.

O ser humano não é humano. Ele se humanizou pela necessidade de sentir-se diferente (ou superior) do resto da natureza. Ele construiu sua humanidade para satisfazer seu ego sensível e carente. Mas a questão é que cada átomo do indivíduo pertence à natureza. Suas células exalam naturalidade, porém ele insiste em negar ou disfarçar as evidências.
Há marcas do universo em seu corpo. Seus olhos refletem galáxias inteiras, ele é formado pelos mesmos componentes presentes em tudo, são inúmeros os outros animais que assemelham-se ao humano.
Porém, o mais intrigante está no comportamento humano, que, em tese, deveria ser uma construção. Mas o que acontece é uma repetição do comportamento do universo.
A vida humana e seus aspectos assemelham-se ao movimento dos corpos celestes e as mesmas regras que os regem, são válidas para o indivíduo.
O espaço em si representa a vida do ser humano, um tecido preenchido de várias possibilidades. Cada estrela é uma memória que morre e nasce a todo momento.
O homem é o planeta Terra, que está inserido em um sistema solar, que por sua vez representa seu íntimo, sua vida no sentido privado e não no sentido amplo que o espaço possui. A Terra orbita o Sol,que representa toda a tristeza, decepção, angústia e sofrimento que o ser humano terá na vida. O Sol tem esse significado pois sua massa é muitas vezes maior que a da Terra, e por isso acaba atraindo o planeta para si.
A Lua é a felicidade e as alegrias que o homem possui, e está sempre variando às vezes, sumindo. O homem só a vê quando está escuro, caso contrário ele apenas esquece que ela existe e volta sua atenção ao Sol. É nos eclipses lunares que o homem passa por seus piores momentos, sem luz para guiá-lo na escuridão.
Os outros planetas com que o homem divide seu sistema são pessoas que ele escolheu manter próximas. As pessoas mais importantes são os planetas maiores e influenciam mais na órbita da Terra. Os planetas menores tem pouca ou igual influência sobre a Terra, dependendo da sua proximidade. Planetas como Vênus e Marte mantêm um equilíbrio com a Terra. Geralmente, estes representam os melhores amigos ou a família. Planetas muito grandes, como Saturno e Júpiter, representam pessoas que o indivíduo gosta muito, admira e se deixa ser controlado e influenciado por eles.
Outros sistemas da mesma galáxia representam pessoas distantes, mas que mesmo assim se mantêm próximas, como colegas ou conhecidos de esferas afastadas da sua realidade.
Outras galáxias são pessoas que intrigam o indivíduo e existe um dificuldade enorme para alcançá-las, então tudo o que o indivíduo pode fazer é observar a beleza que ela transmite.
As camadas da atmosfera protegem o indivíduo de ser atingido por meteoros e grande parte da radiação solar. Mas como o ser não se cuida, se denigre e agride a si mesmo com consciência, facilita a entrada destes elementos nocivos.
Dessa forma, o humano flutua sem destino, vive sem consciência.
Ele está sujeito à uma massa enorme de tristeza e preocupações que o limita e o prende. Ele dá valor quase que exclusivamente à ela. A felicidade só é percebida em momentos de calma, e mesmo assim ela varia. Quando some, se entorpece, até voltar.
O ser faz mal a si mesmo e facilita o estado de tristeza. Ele admira e cuida de seus amigos mais próximos, interage, observa e às vezes, os alcança.
Aquilo que mais influencia o homem, suas ações, sua vida, aquilo que o determina e o regula, é aquilo que muitos chamam de divindade, ou o tempo, a gravidade e a massa. Esses três componentes são tão importantes para a existência da vida, que estão presentes em tudo.
Não há motivos para o ser humano desvincular-se da natureza ou do universo, quando ele é apenas um efeito de algo muito maior.

Rudi Henrrique Autor Rudi Henrrique MEU PERFIL
ENVIE POR E-MAIL
DENUNCIE