POESIAS

VOLTAR

Estações

Estações

É fim de outono quando as últimas folhas marrons caem da árvore
Pessoas atravessam a rua com vários casacos, o inverno está a chegar
Na loja da esquina, casais escolhem pisos de mármore
A brisa antes fria se torna congelante, de fato...
Posso ouvir carros buzinando
E pessoas que saíram pela manhã agora estão retornando,
Pequenas luzes em volta das árvores e das casas piscam
Piscam e cintilam, brilham, colorem e se alternam...
Começou a nevar.
Estou no balanço de um parque
Observando de longe histórias sendo exatamente como deveriam
Queimando lembranças como se fossem fotos antigas
E evitando outras, mas elas voltam achando que são minha melodia favorita

Ei ... Não..seja como as folhas das árvores no outono
Indo embora só porque o inverno chegou
Fique em todas as estações
Não seja alguém cuja risada é a melodia que eu sempre vou reconhecer
E que guardei como a melhor das recordações,
E que decorei, que me recordo, e me lembro
E que repete de novo, de novo e de novo...

As ruas estão brancas
A grama antes verde, está vestida de noiva agora
Lágrimas já se juntaram a ela, viraram gelo
Há pontos brancos no meu casaco que antes era preto
O balanço ao meu lado está vazio
Mas me lembro do ano passado no mês de dezembro
Quando você disse que nosso amor era como o sol
Então se não te amasse, provavelmente congelaria...

Pessoas vão te machucar, e você pode escolher perdoar
Pessoas vão te machucar, e você pode escolher perdoar
O passado virá te assombrar mas você pode se salvar
O passado virá te assombrar mas você pode se salvar
O passado pode te machucar e você pode escolher perdoar
Pessoas tentarão te assombrar, mas você pode se salvar...

Só fique... Como as flores na primavera
Fique no verão, no inverno, e no outono em todas as estações
Não me deixe na espera, você é a melhor das minhas recordações
Não seja alguém cuja risada é a melodia que sempre vou lembrar
Que não vou tornar a ouvir, mas que vou me lembrar
E que vai repetir de novo, e de novo, e de novo...
E de novo, de novo, de novo, e de novo...
Antes de eu dormir, quando eu acordar...
De novo, e de novo...
E mesmo quando parar de nevar

Cleide E Moraes Autor Cleide E Moraes MEU PERFIL
ENVIE POR E-MAIL
DENUNCIE