POESIAS

VOLTAR

Dose de erro

Dose de erro

Enchi mais um copo.
Pensei em você.
Escrevi dois poemas malcriados e um sobre amor eterno que acabou tão rápido quanto a necessidade de ar após segundos sem respirar.
Virei a dose.
Desce rasgando; garganta e alma.
Respirei fundo.
Enchi o copo.
Pensei.
Você foi a melhor dose de erro que já consumi.

Flávio Porto Autor Flávio Porto MEU PERFIL
ENVIE POR E-MAIL
DENUNCIE