POESIAS

VOLTAR

Os dois lados

Vejo dois países em uma cidade só
de um lado a ignorância
vestida de sonhos e esperanças
dançando de baixo de ilusões
tentando com a fé contrariar de decepções.
Do outro
a vaidade em nobres traços de sutileza
carregando a “sutil bondade”.
Horas fosse verdade!
Se não vestissem imagináveis trajes
com seus olhos vistosos
barrigas pesadas
gozando de suas cenas de tv
fingindo não perceberem a putrefação de seus cuspes
com vestígio de champanhe importada.
Empinam o nariz
dirigem seus carros importados
passeiam em seus mundos encantados
pintam sorrisos comprados
E na janela...
ao lado
o cheiro que exala
da esburacada pista
forma sinfonias de contraltos
junto com os pés descalços
mas eles cantam sem voz
Pois a força não estava no prato.

Marluce Persil Autor Marluce Persil MEU PERFIL
ENVIE POR E-MAIL
DENUNCIE