POESIAS

VOLTAR

Espetáculo

E ninguém se manifestou
quando a donzela pôs-se na colina.
As crianças aplaudiram
quando dançou entre as nuvens.

As cortinas se fecham, e a lamúria mastigou a carne podre.
O sol não mais nascia,
e todos cantaram uma canção de ninar.

— Agora é tarde!
Gritou o louco.

A lua caiu na terra,
se rachou e banhou-se no próprio sangue.
As crianças não entenderam, e os adultos choraram.

— Agora é tarde!
Gritou o louco.

Ana Beatriz Autor Ana Beatriz MEU PERFIL
ENVIE POR E-MAIL
DENUNCIE