POESIAS

VOLTAR

Grito em silêncio

eu só faço poesia da boca pra fora,
quando a xícara fria se enche de café.
ato cada vez mais nós... e me perco.

ouço em teu silencio, a voz mansa
que grita em desespero, e não alcança
aquilo que tanto deseja
simplesmente porque fraqueja
e desiste de ser o que sonhou

é tudo poeira no deserto
invadido pelo mar, inquieto por dentro
mas em suas extremidades, a extrema calmaria
e me lembro de quando sorria
lembro-me ainda de quando gemia
e a mim pertencia

sim, sentimento de posse,
contraditório, já que da gaiola
não fiz pouso obrigatório.
e dela o pássaro fugiu,
agora sou pescador de rio.

Arjuna Borges Macedo Autor Arjuna Borges Macedo MEU PERFIL
ENVIE POR E-MAIL
DENUNCIE