POESIAS

VOLTAR

Domingo

Hoje quero apenas existir
Mas não existir como existimos
Correndo, estudando e fingindo ânimos
Mas existir em sentir de verdade
Que, talvez, por descuido, seja esta a nossa realidade:
Apenas ficar parado sem criar expectivas.

Não quero levantar da cama e caminhar
Ver as meninas bonitas passarem
Ver os meninos magrelos assaltarem
Ou ter que ser e fingir amar
Pelas ruas do Rio de Janeiro Cidade - cujo apelido é clichê ressaltar.

Domingo é dia de missa e de reza
De churrasco com futebol para os mais animados
De cinema com pipoca para os apaixonados
E para os como eu - Desanimados - é dia de reflexão em total vagareza.

Contudo, é lastimável pensar que toda calmaria deste dia
Se esvai tão rápido quanto chega
Por hora é quase pérfida alegria
Saber que no Domingo não se teme ou se cai em agonia
Mas se espera ansioso, com dor, pelo dia seguinte
Quiçá, este, venha trazendo consigo o recomeço ou o fim
De outra Semana.


Brendon Cantuária Autor Brendon Cantuária MEU PERFIL
ENVIE POR E-MAIL
DENUNCIE