POESIAS

VOLTAR

Merecedora Do Nada

E a sua amargura
Me amargurou também
Sua indiferença
Me deixou fria
Sua palavra despretensiosa
Me matou um pouco por dentro

Eu sou nada
Não faço parte de planos
E sirvo de alegria
E abrigo
É pra isso que você veio

Quando aceito
Me torno menor
Quando esperei
Não foi minha culpa
O quanto imaginei
Me tornou pior

Cadê teu grito? O teu direito? Tua insatisfação?
Escondo em poesia
Tudo que vem da minha personalidade deficiente
Eu era tão inteligente

Espero a próxima estação
Enquanto acredito ser merecedora
Do nada que me é oferecido
Pobre demente
Que ainda acredita ser melhor que tudo isso

Rafaela Oliveira Autor Rafaela Oliveira MEU PERFIL
ENVIE POR E-MAIL
DENUNCIE